Como melhorar a inclusão dos alunos nas escolas?

As escolas precisam estar preparadas para receber os mais diversos tipos de alunos e fazer a inclusão de cada um deles


Como melhorar a inclusão dos alunos nas escolas?

Inclusão. Essa é uma das palavras do momento e, quando estamos falando do ambiente escolar, ela se torna ainda mais importante. A escola costuma receber os mais diversos tipos de alunos com as mais variáveis deficiências. Alguns têm autismo, outros são cadeirantes. Fazer a inclusão dos alunos nas escolas não é tarefa fácil, mas é possível fazer dar certo.

Há diversos problemas que precisam ser enfrentados aqui. O primeiro deles é que os funcionários e professores, em muitos casos, não estão preparados para lidar com esses alunos. Outro problema é a família, que fica apreensiva quando o filho que possui alguma deficiência precisa ir para a escola. Ela não sabe com eles serão tratados, principalmente pelos colegas de sala.

Bom, com esses desafios em vista, é preciso criar soluções para que todos os lados fiquem satisfeitos e, o mais importante, para que as crianças não se sintam prejudicadas de qualquer forma.

Por isso, fizemos uma lista explicando de que forma a inclusão dos alunos no ambiente escolar pode se dar da melhor maneira possível. Confira!

5 dicas para melhorar a inclusão dos alunos

1. Olhe o aluno como um todo

Da mesma forma que os profissionais de saúde estão aprendendo a olhar o paciente como um todo, e não apenas para a patologia que ele apresenta, o professor e toda a equipe escolar deve olhar para o aluno como um todo e não para a sua limitação.

O problema que o aluno apresenta é apenas uma parte do que ele é e certamente ele possui outras habilidades que podem ser trabalhadas na escola. Na verdade, trata-se de adaptar a forma de ensino, algo que deveria ser feito independentemente de a criança ter alguma patologia ou não. Cada um tem uma forma melhor de aprender e assimilar os conhecimentos. Descubra qual é essa forma em cada um deles.

2. Desenvolva a autonomia

É comum ver educadores tratando crianças com deficiências de uma forma que eles sejam sempre dependentes. E isso não é de propósito. Na verdade, eles acreditam realmente que os pequenos não serão capazes de realizar determinadas tarefas sozinhos. Mas, se tentarem, podem se surpreender com a capacidade que essas crianças possuem de se adaptar apesar da limitação que apresentam em uma área, seja ela cognitiva ou física. 

3. Invista na formação de profissionais

Muitos membros da equipe (em especial os professores) precisam de conhecimento específico para lidar com esses alunos e a sua instituição de ensino precisa oferecer esse treinamento ou, pelo menos, incentivá-lo. Você pode fazer, inclusive, parcerias com outras instituições de ensino que oferecem esses cursos.

É preciso compreender que, mesmo tendo 2 alunos surdos na sala, cada um deve ser tratado dentro da própria individualidade. E isso só é aprendido em cursos de aperfeiçoamento. Aliás, toda a escola precisa desse conhecimento de maneira constante e atualizada, portanto, esse aperfeiçoamento de ser frequente.

4. Invista em tecnologia

A tecnologia, sem dúvida alguma, possui recursos que podem ajudar na inclusão desses alunos às atividades em sala de aula e também fora dela. Por exemplo, os alunos que são cegos podem se beneficiar com os áudios dos conteúdos, alunos que têm problema de aprendizado podem encontrar novas formas de aprender, mais lúdicas e interativas. 

Além disso, existem muitos softwares que ajudam os alunos a fazer cálculos matemáticos e ensinam de uma maneira mais divertida o idioma e outros assuntos.

5. Conscientize os alunos

Um dos grandes problemas da atualidade dentro das escolas é o bullying, e alunos que sofrem certas limitações físicas ou intelectuais costumam ser o alvo preferido dos outros colegas. Por isso, a escola precisa fazer e manter um trabalho intenso de conscientização dos alunos. 

Uma ótima maneira de fazer isso é explicando as deficiências que existem e como lidar com os colegas que as possuem. Muitas vezes, o bullying acontece pelo medo do desconhecido, afinal de contas, tudo o que o ser humano não entende, ele ataca. Então, o conhecimento pode ser bastante útil nesse caso.

Essas são apenas algumas práticas de inclusão dos alunos nas escolas que você pode colocar em prática na sua instituição de ensino. Todos saem ganhando, especialmente as crianças, que se sentirão mais acolhidas e confortáveis com a equipe e com os colegas de sala.

 

Fonte: Portal Planneta Educação

https://www.plannetaeducacao.com.br/portal/a/315/como-melhorar-a-inclusao-dos-alunos-nas-escolas