Educação Especial: Orientações às Famílias durante a Pandemia


Educação Especial: Orientações às Famílias durante a Pandemia

As orientações a seguir foram elaboradas para oferecer suporte aos alunos do AEE e servem de apoio às famílias, neste período em que os alunos estão em casa. É importante que a família se organize para ajudar a criança em sua rotina, dentro de suas possibilidades.

1. É necessário que a criança mantenha uma rotina: horário de acordar, de se alimentar, de brincar, entre  tantas outras atividades que fazem parte do dia a dia da família.

2. Escolham o melhor momento para realizar as atividades. O horário, dentro do possível, deve ser sempre o mesmo, para não confundir a criança e melhorar a concentração.  Caso a criança tome medicação que dê sono, não faça nenhuma atividade naquele horário. Permita que seu filho descanse para que ao acordar, ele esteja tranquilo e disposto.

3. Antes de dar início às atividades explique à criança o que vai acontecer, pois isso a deixará mais calma, segura e concentrada.

4. Durante as atividades nada deve atrapalhar a atenção da criança. Por isso, desligue a TV, rádio e não deixe por perto qualquer objeto que desvie seu interesse.

5. No site www.educataboao.com,br  tem muitas atividades interativas como jogos, páginas educativas, histórias para ouvir no computador (e-books), brincadeiras que vão estimular as crianças de várias formas. Elas aprendem mesmo quando estão brincando, jogando, ouvindo histórias, cantando uma música. Aproveitem esse material, que oferece muitas possibilidades de aprendizado.

6. A duração da rotina de atividades não precisa ser longa e varia de criança para criança. É preciso que elas aconteçam todos os dias, mas procure respeitar o ritmo do seu filho. Cada criança tem seu modo de aprender, forçá-lo pode desestimular seu interesse, mude de atividade se parecer muito difícil a ela.

7. Ofereça  brinquedos e jogos, pois ao explorá-los a criança pode nomear cores,  tamanhos, formas e texturas, além de ser um momento importante de interação com os familiares.

8. A leitura pode acontecer de maneiras diferentes, como por exemplo, ouvindo uma história no computador ou na leitura feita pelos pais. Mas deixe que a criança também faça a leitura, ainda que não seja a leitura formal, quando ela faz de conta, trazendo a sua versão, está desenvolvendo a sua criatividade, imaginação, linguagem, além de melhorar sua capacidade de se expressar.  Após a leitura é sempre interessante perguntar o que ela entendeu, qual ou quais personagens mais gostou, pois isso também estimula a memória. Incentive também o manuseio de rótulos, embalagens proporcionando diferentes situações de leituras espontâneas.

9. Se possível insira a criança nas atividades  domésticas, tais como: arrumação da mesa no almoço, organizar e guardar os brinquedos após o uso, entre outras atividades feitas rotineiramente em casa.

10. Proporcionar momentos de brincadeiras, músicas, danças, desenhos e pinturas enriquecem a rotina da criança. Aproveite para resgatar memórias de sua infância, fortalecerá ainda mais o vínculo e fará bem a toda família. Para quem tem espaço maior: aproveite para pular corda, brincadeiras com bola, amarelinha, corre cutia, esconde-esconde, pega-pega, cantigas de roda (Pirulito que bate-bate, Ciranda cirandinha, Caranguejo, Dona Aranha, Sapo Cururu, entre outras). Já para espaços menores: cantar e dançar, brincadeiras com mímicas/imitação, passa anel, batata quente são algumas sugestões divertidas. Desenhar e pintar também são atividades prazerosas.

11. Elogie!  Os elogios ajudam bastante e farão com que seu filho se sinta seguro, confiante mesmo quando tiver dificuldades. O seu apoio e incentivo são fundamentais e melhoram a autoestima.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE TABOÃO DA SERRA/SP